07/11/2017

Amturvales mapeia desafios e possibilidades do turismo na região

OINFORMATIVO

Números e principais desafios do setor na região foram apresentados pela entidade em evento na segunda-feira

Lajeado – Fundamental para atualizar as estratégias e ações a serem implementadas no Vale na área do turismo, a Amturvales apresentou ontem, dia 6, o Diagnóstico Turístico Regional. O relatório é um instrumento potente para a tomada de decisões pelos gestores, empreendedores do turismo e para o desenvolvimento do setor na região. Sob a coordenação de três profissionais vinculadas a Amturvales, a atividade foi realizada em todos os municípios do Vale do Taquari, e em Guaporé.

Com base nos dados coletados por Lizeli Bergamaschi, Elisabete Lenhard e Diuly Mähler poderão ser estabelecidas diretrizes para a desenvolvimento estratégico do turismo no Vale. Durante a pesquisa, foram mapeadas milhares de estabelecimentos relacionados ao turismo e visitados centenas de locais em toda a região. O estudo apresentado é uma ferramenta importante, uma vez que dados completos e abrangentes com os disseminados são inéditos.

A partir deles, nas palavras do presidente da Amturvales, Rafael Fontana, é necessário compreender se a região entende como prevalente estruturar o turismo – o que não acontece sem investimentos. Ele questiona: “queremos realmente investir no turismo?”. Este será o principal desafio do próximo ano, em pautas que já começam a ser discutidas nos primeiros meses de 2018.

O Diagnóstico Turístico Regional será enviado para cada um dos municípios em versões completas, com dados expandidos (em relação aos divulgados ontem) e indicando para as governanças os pontos positivos e as dificuldades do turismo identificadas pelas profissionais em cada cidade. Segundo a diretoria da Amturvales, parte da responsabilidade pelo desenvolvimento do potencial turístico do Vale é dos prestadores de serviço. Na opinião das gestoras em turismo, é necessário que o empresariado entenda que esse é o momento para se envolver.

A iniciativa da Amturvales propõe que o documento elaborado sirva de base para a criação de uma agenda continuada de ações pautada no entendimento dos papéis que são atribuídos ao setor público, a iniciativa privada e a comunidade no processo de desenvolvimento turístico no Vale do Taquari. Fontana defende que por meio de ações que promovam o turismo nos municípios é possível mostrar a força econômica do Vale para Ministério do Turismo – o que facilita o repasse de verbas federais, por exemplo.

Durante os meses de envolvimento, as profissionais trabalharam no levantamento, na identificação, na atualização? e no registro dos atrativos turísticos, dos serviços, dos equipamentos e da infraestrutura de apoio ao turismo em cada uma das 39 cidades mapeadas. As informações serão disponibilizadas nas páginas oficiais da Amturvales.

As condições para evolução do turismo no Vale são positivas, de maneira geral, segundo avaliação da Amturvales. “Houve descobertas mútuas”, diz Fontana, sobre o desenvolvimento do estudo, ao se referir às perspectivas apreendidas pela Amturvales e pelos governos municipais. Um novo estudo, relacionando o potencial do turismo para o Vale do Taquari será desenvolvimento em breve. O objetivo da nova pesquisa é definir, também por meio de levantamento, os impactos do turismo na região, com foco no empreendedorismo e na representação do turismo no Produto Interno Bruto (PIB) do Vale do Taquari.

O estudo
A região foi organizada em três grandes áreas visitadas entre maio e setembro.
Os municípios de Itapuca, Arvorezinha, Ilópolis, Guaporé, Anta Gorda, Dois Lajeados, Vespasiano Corrêa, Putinga, Doutor Ricardo, Relvado, Coqueiro Baixo, Nova Bréscia, Encantado, Muçum e Roca Sales receberam a visita da turismóloga Lizeli Bergamaschi. A gestora em turismo, Elisabete Lenhard, foi para Pouso Novo, Travesseiro, Capitão, Arroio do Meio, Colinas, Imigrante, Westfália, Teutônia, Poço das Antas, Estrela, Fazenda Vilanova, Paverama, Bom Retiro do Sul, Tabaí e Taquari.

Já o G8, esteve a cargo da turismóloga, Diuly Mähler. Os municípios foram Progresso, Boqueirão do Leão, Marques de Souza, Forquetinha, Sério, Canudos do Vale, Santa Clara do Sul e Cruzeiro do Sul. O município de Lajeado, por ser o maior do Vale, foi mapeado por Lizeli e Elisabete.

As três profissionais, Lizeli, Elisabete e Diuly comentam que o VT tem, por meio de seus municípios e a partir dos números apresentados, a tarefa de trabalhar com a mineração dos dados para levar o assunto adiante. O primeiro contato, explicam, foi com as prefeituras que, por meio das secretarias relacionadas ao turismo, indicaram os estabelecimentos e fontes de pesquisa em cada cidade. Nesse momento, foram mapeados os prestadores de serviços, os locais que recebem visitas turísticas, as potencialidades e as áreas deficitárias das 39 cidades. Segundo as profissionais, o assunto assume outros contornos depois da socialização dos resultados.

O presidente da Amturvales destaca que mesmo que a maioria dos municípios mapeados não seja associado a Amturvales, o potencial de cada cidade foi levantado no esforço da entidade. A intenção é ter o panorama mais completo possível da região. Segundo ele, o mesmo vale para os empreendedores que mantém estabelecimentos de prestação de serviços relacionados ao turismo – hotéis, pousadas e restaurantes, por exemplo.

Pesquisa para basear ações
Os números clarificam as dinâmicas do setor na região e, além disso, servem para a elaboração de planos de ação. As estratégias previstas incluem que o diagnóstico por cidade deva resultar em planos municipais de desenvolvimento do turismo ao longo do próximo ano. A diretoria da Amturvales intenciona maior aproximação com o Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari para discussões conjuntas. Os projeto também inclui uma proposta de sinalização padrão para todos os pontos turísticos da região – o que facilita a identificação dos locais e cria, para os visitantes, a ideia de regionalidade.

Maior efetividade da Amturvales e dos estabelecimentos nas redes sociais, a criação de um aplicativo com informações sobre o turismo no Vale do Taquari e o desenvolvimento de um portal online sobre o turismo estão entre os planos. Um dos grandes desafios é a venda do Vale como região turística, o que hoje acontece de maneiras isoladas e sem uma estratégia uniforme.

Crédito: Lucas George Wendt
O Informnativo do Vale